14/08/2020

Regiane Ramos De Carli lança grife que mistura tendências, música e impressionismo

 

Como uma boa moça de família mineira, além da formação tradicional, Regiane Ramos De Carli fez curso de Corte e Costura e aulas de pintura. Formou-se em Direito, atua e participa de publicações na área, mas seu espírito criativo e empreendedor não a deixa quieta. Por isso, ela prepara o lançamento de sua grife, a NOIR.

– Na minha família paterna todas as mulheres têm duas profissões. Minha ligação com a moda vem desde cedo. Com ajuda da vó, fazia as roupas das minhas bonecas – conta Regiane, citando a matriarca Ana Moraes Ramos, professora e costureira, e a tia Ivani Ramos, que teve, por 30 anos, uma loja de vestidos de noiva em Belo Horizonte.

A primeira coleção da NOIR se chama Oh, Mon Amour!, tem parceria com o amigo designer de moda e artista plástico Sergio Lopes, foca o outono-inverno e vem inspirada na obra do compositor Jacques Brel e na arte impressionista de Edgar Degas. O lançamento está previsto para o dia 25 deste mês, na boutique Saintelle, de Janielle Susin.

– Minha ideia sempre foi unir moda e arte. Gostaria que as pessoas se sentissem bem e felizes ao vestir as peças. Chanel já dizia que uma mulher sempre precisa de um pretinho básico – ratifica Regiane sobre a cor preta que predomina nos looks, todos bordados à mão.

O momento é de expectativa e, ao mesmo tempo, de realizações para Regiane, que vive em Caxias do Sul desde 2014, é casada com Lourenço Sehbe De Carli, e mãe da adolescente Anna Luísa Ramos França e da pequena Manoela Ramos De Carli.

 

– Sempre estou onde gostaria de estar. Tenho uma família bacana. O Lourenço foi o primeiro a dizer “topo e te ajudo neste projeto”. Sou uma pessoa privilegiada por isso. Minha avó dizia que quando somos gratos, o universo traz coisas boas – conta ela, que ao mesmo tempo em que cria roupas, pinta telas em acrílico povoadas por bailarinas. 

Assim, o universo barroco e o balé do século 19 dão o tom do novo feito na vida desta virtuosa belo-horizontina de 37 anos e imensuráveis talentos.

– Sou hiperativa, tenho um jeito expansivo, estou aberta a novas pessoas e culturas. Adoro a internet, mas gosto mais do calor humano. É coisa de mineiro ser assim cuidadoso com as amizades – reflete.

 

:: Tops das artes
Sergio Lopes
Jane De Bhoni
Paulo Caldas
Hidalgo

:: Tops da moda
SALL
Chanel
Hermès
Dior